Notícias

Prefeitura de São Paulo reduz intervalo de isolamento para pacientes com Covid-19

Medida segue recomendação do Ministério da Saúde; intervalo passa de 14 para dez, sete ou até cinco dias, dependendo dos sintomas

De Secretaria Especial de Comunicação

Atualizado em 14/01/2022 às 12h55

A Prefeitura de São Paulo informa que a capital passa a adotar as novas recomendações e orientações do Ministério da Saúde (MS) para o isolamento de casos leves e moderados de síndrome gripal por Covid-19, confirmado por critério laboratorial. A portaria da Secretaria Municipal da Saúde (SMS) passa a valer a partir de hoje (13), data da publicação no Diário Oficial da cidade de São Paulo.

A medida foi tomada diante do aumento significativo do número de casos de suspeitos e confirmados de Covid-19, a preocupação com o rápido avanço da variante ômicron e a exponencial demanda por atendimentos de quadros respiratórios nos serviços de saúde públicos e privados na capital.

O isolamento deverá ser feito por cinco dias, desde que o paciente não apresente sintomas respiratórios e febre, há pelo menos 24h e sem o uso de antitérmicos. Também deverá ser realizado o teste de antígeno ou RT-PCR.

Após o resultado negativo do teste, a pessoa será liberada do isolamento com a recomendação de manter as medidas não farmacológicas de controle como: uso obrigatório de máscaras, distanciamento social, evitar aglomerações, higienização frequente das mãos. Caso o teste seja positivo novamente, o isolamento deverá ser mantido até o 10º dia após início dos sintomas.

Para quem, no sétimo dia, não apresentar sintomas respiratórios e febre por um período de 24h, sem uso de antitérmico, será liberado do isolamento, sem a necessidade da realização do teste (antígeno ou PCR).

No caso de persistência dos sintomas compatíveis com síndrome gripal deverá manter o isolamento até o 10º dia.

No décimo dia, a contar do início de sintomas e ou diagnóstico laboratorial, para quem não apresentar sintomas respiratórios e febre por um período de 24 horas sem uso de antitérmico, a pessoa poderá ser liberada do isolamento sem a necessidade da realização do teste (PCR ou antígeno). Após o término do isolamento, todos devem manter as medidas sanitárias não farmacológicas.

Para os casos de síndrome gripal por Covid-19, confirmado por critério laboratorial, sem esquema vacinal completo (duas doses), as orientações para o isolamento são de dez dias (após início dos sintomas ou diagnóstico laboratorial).

Até esta quarta-feira (12), foram aplicadas 24.714.885 de doses contra a Covid-19, sendo, 10.697.553 como primeira dose (D1), 10.016.380 como segunda dose (D2), 333.973 doses únicas (DUs), e 3.666.979 doses adicionais (DAs). Esses números equivalem a 109,4% de cobertura vacinal para D1, 103,9% para D2 e 39,7% para DAs.

Em adolescentes, 937.188 primeiras doses foram aplicadas, além de 759.535 segundas doses. São 111% de cobertura vacinal para D1 e 90% para D2.

Ações do documento

Vídeos

Construindo Histórias - Saúde Pós Covid-19